terça-feira, 2 de Julho de 2013

Parar

A correr vejo o mundo a desabar, para um final triste.
Já não me vou preocupar com o sentido da vida, pois não existe.
Sento-me e aprecio o vício das pessoas a tentarem ser felizes.
Tudo me mete nojo, até eu achar por bem parar de vomitar.

segunda-feira, 3 de Setembro de 2012

Quem sabe...
Nesta vida farta de desespero e tristeza,
fujo por entre os sentimentos mais perversos,
para me encontrar sem a certeza,
de algum dia ter escrito estes versos.

Vão dizer que não sou,
vão afirmar que não estive,
Vão me matar devagar,
Pois assim já não estou,
pois então no declive,
grito para não derrapar

Quem gosta de viver, vê mais além
quem gosta de amar, é quem está atento
inimigo de tantos e de ninguém
carrego este mundo de desalento

Mas, quem sabe se algum dia, o sol vai cair e a lua fujir,
Quem sabe se me vou redimir,
Quem sabe...

quinta-feira, 14 de Abril de 2011

Vou....

Seja assim ou mais ou menos como isso, transporto a raiva com cuidado, para um dia te oferecer um calvário de loucura e insanidade, onde ficarás perdida na ausência de lógica e sentido de viver.
Vou ser feliz contigo assim...

segunda-feira, 20 de Setembro de 2010

Fúria

Por entre os meus dedos, escondo a minha cara em fúria, por não conseguir chegar até onde me possa sentir feliz e só.
Desamparo a minha cabeça de mobílias e monos bafientos e nojentos, só para ficar a um canto, a sorrir e a pensar em ti.

terça-feira, 3 de Agosto de 2010

Cold - End Of The World

Obscura Inquietude

Quando a lua voltar a escurecer, todas as formas ficarão mudas e os sons quietos.
Na utópica procura de um sol diferente que aqueça e ilumine todo o olhar daquele que não acredita num Deus mais justo e humano, ficaremos aqui... à espera.

quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

Não sei parar....

Quando voltar atrás e pensar naquilo que jamais pensei fazer, vou cair no vazio, onde o desespero é amigo e irmão.
Sozinho consigo vencer tudo o que enfrento, sozinho...mas a pensar em ti.
Os pedaços do meu amor que voam aos pedaços, digo adeus a tudo e a nada, continuo assim sozinho.
Navego num mar de sangue e lágrimas e penso que Deus é um menino mimado, que brinca com as pessoas e amuado as faz sofrer.
Não sei parar.